Friday, August 31, 2007

O lado marrom da Alemanha

No meu primeiro post sobre a Alemanha, falei da primeira visao que tive la: a de um guri sendo levado pelos pais para cagar na frente de todo mundo em uma estacao de trem.

Ao visitar o imperdivel DDR Museum, em Berlim, talvez tenha encontrado uma explicacao: na antiga Alemanha Oriental, as criancas eram obrigadas a ir ao banheiro todas juntas, nao importa se estavam com vontade ou nao. E elas so podiam sair do vaso quando o ultimo coleguinha terminasse o servico.

Para nao dizerem que estou mentindo, tirei essa foto. Tem um cientista politico alemao que diz que o trauma de cagar junto no colegio levou a ascensao da direita anticomunista nos anos 90 em varias cidades da ex-Republica Democratica Alema.

P.S.: Berlim nao e feita apenas de merdas como essa. Mas os computadores dos albergues e cyber cafes sao. Por isso, historias mais detalhadas do que essa, so ao vivo.

Saturday, August 25, 2007

Passport, proseem?

Nem precisava o tio do passaporte abrir de sopetão a porta do trem para pedir, com sotaque eslavo, o meu passaporte. Já tinha dado para perceber que aquele cenário sombrio, cheio de prédios antigos destruídos e fachadas enferrujadas, não era mais a Alemanha, e sim a República Tcheca. A organizacão dos alemães de cara dá lugar a um mundo onde tudo parece mais antigo, até o "túuu, rúuu" que entra antes dos locutores das estacões de trem.

Mas uma coisa existe em comum: assim como é impossível entrar na Alemanha e não pensar naquela coisa que aconteceu com o país (sim, aquela coisa que usava bigodinho), é impossível ver aquela paisagem tcheca sem pensar no que levou à destruicão daqueles prédios todos. Resquícios das duas grandes guerras? Revolta da populacão? Imitacão do que fizeram com o muro de Berlim? E a cidade de Praga? Como é que uma cidade que em 1988 tinha uma só marca de leite, de carro, de parafusos, se desenvolveu a ponto de voce se perguntar em qual lado da rua vai comer um sorvete da Haagen-Dazs?

Isso - a mudanca das pessoas do comunismo para o capitalismo em um espaco tão curto de tempo - não sai da minha cabeca. É por isso que eu cou aproveitar que cheguei em Berlim para visitar o Museu da Alemanha Oriental. Dizem que dá pra ver a TV da época, sentar numa sala tipicamente comunista, entrar num supermercado e até dar uma acelerada num Trabant, o carro Lada-style que a populacao esperava anos para ter. Já devo contar sobre isso no próximo post. Sobre isso e sobre o resto de Berlim, até agora a cidade mais legal que já visitei na vida.

Tuesday, August 21, 2007

O batido post sobre cervejas

Tinha um professor meu na Fabico que dizia que só o ódio constrói. Ou seja, a gente escreve textos melhores sobre coisas que odeia.

Eu tinha ficado de fazer um ranking de cervejas daqui da Alemanha, assim como fiz um ranking das cervejas da Nova Zelandia quando estive por lá, mas sinto que não vai rolar.

Até agora todas desceram tão bem que eu nem saberia o que dizer delas. Soaria ou muito deslumbrado ou muito chato, um enólogo de cervejas. E isso nem os alemães, que entendem mais de cerveja que qualquer um, são. Eles bebem cerveja como se fosse água mineral: nas refeicões, nos intervalos das refeicões e no que houver entre essas duas coisas. E com uma velocidade impressionante.

Monday, August 20, 2007

Disciplina

Impressionante a disciplina dessa alemoada. Aqui em Munique tem horas que o sinal está fechado para os pedestres e também para os carros, e daria para atravessar numa boa, mas quase ninguém atravessa. Ficam ali, parados esperando o bonequinho verde aparecer no sinal. Eu fico parado também, porque odeio aquela idéia de brasileiro-se-comportando-mal-no-exterior, mas a Marie costuma ser mais apressada que eu, e mme convenceu a atravessar a rua algumas vezes.

E aí acontece uma coisa engracada: quando o primeiro resolve burlar a regra e atravessar a rua, o cara logo atrás faz o mesmo, como se a gente tivesse dado uma licenca moral para eles. Sinal de que o povo daqui é disciplinado mas corruptível. Um só Renan Calheiros no Senado daqui arruinaria o país em uns dez anos.

Sunday, August 19, 2007

Nummer eins, nummer zwei

As primeiras impressões qeu tive da Alemanha dificilmente deixarão de ser definitivas. Afinal, eu estava há 15 minutos no país, peguei o trem e, numa das paradas, um casal leva seu filho para cagar em um saco plástico na estacão do trem, na frente de todos os outros passageiros. Cinco minutos depois, uma menina sente vontade de fazer xixi e o pai dele tira um penico para ela fazer no meio do trem. O menino ainda repete a dose duas paradas depois.

Por via das dúvidas, minha primeira refeicao no país passou longe das iguarias locais. Comi no Subway.

Tuesday, August 14, 2007

Novidades

A primeira é que o Linha Burra, site de futebol mantido por mim e por um grupo de grandes amigos, embarcou na sua primeira aventura audiovisual. O Linha Burra TV ainda é um programa piloto - e, por enquanto, está mais pra Cacá Bueno do que pra Lewis Hamilton - mas já ficou mais divertido que a maioria das mesas redondas televisivas.

A segunda é que, a partir deste final de semana - e até o dia 15 de setembro - o Fiambres será transmitido diretamente do Velho Continente. A freqüência das atualizações depende da cotação da hora de internet nos cyber cafés locais.

Friday, August 03, 2007

Amanhã em ZH: logo gaúcho faz sucesso no exterior


Voltando ao assunto do penúltimo post – pequenas mudanças corporativas: notei que a RBS mudou seu logo semana passada. E notei que a fonte do logo é muito parecida com a de outra RBS, o Royal Bank of Scotland. A grande diferença é o foguinho cor-de-laranja nas letras.

Claro que essa é só uma dessas coincidências comuns pra quem trabalha em criação. Mas é muito mais divertido pensar que foi tudo de propósito, e que a RBS gaúcha aproveitou que a RBS escocesa patrocina a Fórmula 1 para descolar de graça uma divulgação extra para suas empresas – basicamente, tudo seria parte de uma grande piada interna para reproduzir na vida real aquela velha anedota judaica do “Sara morreu, vendo chevette 78”.

E é mais divertido ainda pensar que essa piada começou há mais de trinta anos, quando o antigo logo da RBS foi criado. Notem que a marca antiga também é bem parecida com a da Sagem, uma empresa francesa de telecomunicações. Agora só falta eu descobrir que a Sagem patrocinou o GP da França de 1972 para ter uma teoria da conspiração completa.