Wednesday, June 27, 2007

Pode confiar

Eu acho muito engraçado o jeito que as grandes marcas globais agem na hora de incorporar uma marca local ou nacional, ou alinhar a marca nacional a suas marcas mundiais.

Boa parte delas vai fazendo a mudança aos poucos, meio na calada da noite, para que o menor número de pessoas perceba. Tipo o HSBC Bamerindus. Alguém lembra do dia que ele passou a ser só HSBC? E a CRT Brasil Telecom, quando foi que tirou o CRT do nome? Provavelmente só eu lembro disso, mas aquela marca de bolos que hoje se chama Dr. Oetker um dia foi só Otker. A mesma coisa aconteceu com aquela linha de aromatizantes que um dia se chamou Gleid, e agora é Glade (tenho foto pra provar isso). Como se as donas de casa brasileiras tivessem aprendido a pronunciar palavras difíceis.

Mesmo que eu lembre de todos esses exemplos, as empresas não param de me surpreender. Tipo esses dias, quando eu fiquei em casa dormindo até mais tarde. Um som familiar foi surgindo baixinho na rua. Eu fui reconhecendo e, na minha cabeça ainda, sonolenta, cantarolando:

Se tem o lacre azul
do cachorrinho
Pode confiar
É Liquigás.


Acontece que o caminhão foi se aproximando mais e mais. E eu fui notando que tinha algo errado com a música. Não sabia se era a métrica, o arranjo, a linha de baixo mais crua ou o timbre de teclado que tinha mudado de Casio para Yamaha. Só quando o caminhão chegou bem perto é que eu notei que a diferença estava na letra:

Se tem o lacre verde
Da BR Petrobrás
Pode confiar
É Liquigás.


Achei incrível. Os caras tiveram a chance de acabar com o jingle mais odiado pelas associações de bairros, mas preferiram não só fazer uma adaptação tosca, mas também eliminar a única frase bem-humorada que existia na letra: o verso que chamava o logo da Agip-Liquigás - uma fera de SEIS PATAS que cospe FOGO - de “cachorrinho”.
Fico pensando se eles acharam que ninguém notaria a mudança, já que boa parte da população enfia a cabeça no travesseiro quando o caminhão de gás se aproxima. Mas eu noto, Petrobras, eu noto.

Thursday, June 14, 2007

Quer tirinha nova?

Vai lá no site da Dois Pontos, vai.

Tuesday, June 05, 2007

"Não interrompe o avatar do Internacionaaal, rapaz!"


Tem duas coisas que, pouco tempo atrás, eu não poderia imaginar:

1) Que eu acharia interessante a idéia de existir um jogo que simula um mundo real, reproduzindo inclusive – e acima de tudo – a falta do que fazer do mundo real;

2) Que, entre bilhões de possibilidades, eu entraria nesse jogo na pele do Kenny Braga.


Pois foi o que aconteceu na sexta-feira, quando a Escala homenageou a Rádio Gaúcha com uma edição especial do Sala de Redação (o programa mais tradicional da emissora) no Second Life. Eu comandei o avatar do apaixonado cronista colorado (foto), me diverti horrores com a crença da maioria dos avatares presentes de que era o próprio Kenny quem comandava seu personagem, e, acima de tudo, fiquei surpreso com o número de visitantes. Nem nas lojas da Nike e da Reebok no Second Life eu vi tamanho aglomerado de gente. Sinal de que a coisa deu certo. Tomara que se repita, desde que, dá próxima vez, eu tenha a oportunidade de dar um pescoção no avatar do Cacalo.